terça-feira, 30 de janeiro de 2007

O filme do SÉCULO...


Eu faço a minha parte para que daqui a 50 anos este seja um mau filme de ficção...

E TU?

www.climatecrisis.net

Despair is my middle name...

As verdades são para serem ditas...

Um dia ia uma lagartixa a atravessar a estrada quando um carro passou e lhe pisou o rabo, partindo-o. A lagartixa virou-se e vendo o rabo a mexer-se, ficou parada a lamentar-se da triste sorte de ter perdido um rabo tão jeitoso. Nisto, passa outro carro que pisa a cabeça da lagartixa, matando-a.
Moral da história: Por causa de um bom cú, às vezes, perde-se a cabeça!

LOL

Ai que quase me mijei quando li esta...


O que é que diz um cego com um ralador na mão?
"- Quem é que escreveu esta merda?"

"Prós e contras" de ontem...




Parem já com essas palmas, caralho!

domingo, 28 de janeiro de 2007

sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

Cada vez tens mais razão Ferreira....




Há coisas que mudam mesmo... IMPERDÍVEL! 9 minutos de rir a bom rir...

Invejosos!


Para quem ainda tinha dúvidas dos meus dotes artísticos...

quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

Love is back in town...


Angelina, Hayley, Jennifer, Nicole, etc... Nenhuma tem o brilho de aura que esta moça tem...
"Love is a moment that lasts forever..." Julie Wittey
I'm in love!

terça-feira, 23 de janeiro de 2007

Se há coisas que revoltam...

E ainda há quem diga que o Holocausto nunca aconteceu... Como é isso possível, se ainda hoje acontece??

http://www.glumbert.com/media/dolphin

Com licença, vou ali chorar um pouco, e certamente vomitar também...
Há merdas que me fodem mesmo a cabeça...

EXIT LIGHT...

O MELHOR CONCERTO DE SEMPRE EM PORTUGAL!!!!!!!!!!!!!!!!



WE´RE OF TO NEVER, NEVER LAND...

Melting Pot...


Depois dos Afro-Americanos (para dúvidas, ler abaixo), este ano parece que é o ano dos mexicanos. Foram anunciadas hoje os nomeados à 79ª edição dos Óscares. Na impossibilidade de fazermos mais uma sessão noturna de cigarros, suminho, torradas e Rui Pedro Tendinha a comentar, aqui vão as minhas previsões para os vencedores. Gaspar e Ferreira, favor de fazerem as vossas e deixarem-nas aqui; afinal de contas, tenho um título a defender! (Para os que não estão a perceber esta conversa, imaginem 3 amigos juntos a ver os Óscares e a fazer previsões de quem ganha qual; Bastante gay, é verdade, mas a gente gosta!). Ok, aqui vai:

Melhor actor - Peter O'Toole
Actor 2º - Alan Arkin
Melhor actriz - Helen Mirren
Actriz 2ª - Cate Blanchett
Melhor filme animado - Cars
Direcção artística - The Prestige
Fotografia - The Prestige
Guarda-Roupa - Marie Antoinette
Realização - Iñárritu (Babel)
Documentário - An Inconvenient Truth
Curta Documentário - The Blood of Yingzhou District
Edição - The Departed
Filme Estrangeiro - Pan's Labyrinth
Maquilhagem - Pan's Labyrinth
Banda Sonora Original - The Good German
Canção - Patience (DreamGirls)
Melhor filme - Letters from Iwo Jima
Curta animada - Lifted
Curta Live action - Éramos Pocos
Edição de Som - Flags of Our Fathers
Mistura de Som - Apocalypto
Efeitos Visuais - Pirates of the Caribbean - Dead Man's Chest
Argumento Adaptado - Borat Cultural Learnings Of America For Make Benefit Glorious Nation Of Kazakhstan
Argumento Original - Babel

Vamos lá ver então... A festa começa dia 22/02.

Fool me once, shame on... on.. You can't fool.. uh...

Sempre me ensinaram que não se deve bater numa pessoa quando esta está em baixo... OK, mas também é quando tem mais piada!!!!



O que vale é que este já não conta para as estatísticas...

segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

Cantas bem mas não me encantas...



No passado sábado, Hillary Clinton anunciou a sua intenção de se candidatar à presidência Americana no próximo ano. A comunicação, apesar de previsível, foi feita de maneira algo ortodoxa, assumindo contornos "boliqueimicos", visto ter sido realizada através da internet, pelo seu site oficial. A maioria das sondagens dão-na como vencedora das primárias do partido democrata e, consequentemente, como provável candidata por este partido. Apesar de conhecer por dentro os meandros da política na 1600 Pennsylvania Avenue, visto ser casada com um ex-presidente que serviu 2 mandatos, há qualquer coisa nela que não me convence...
Não sou machista, nem nada que se pareça, por isso não é pelo facto de se tornar a 1a mulher "chefe do mundo livre" (visto que os republicanos irem, quase de certeza, levar na pá - a menos que convençam o John McCain a candidatar-se, mas não me cheira) que a sua candidatura me causa dúvidas. Talvez pela sua maneira frígida de ser (acreditem, procurei melhor palavra que esta, mas parece cair que nem uma luva!!), pela insensibilidade demonstrada quer aquando do caso do charuto&nódoa (nunca gostei de "Caso Lewinsky", parece algo tirado do "Law&Order"), quer agora como senadora, ou mesmo um chamado "gut felling", há ali qualquer coisa que.... não sei.
Agora, se fosse americano, membro do Partido Democrata, não tinha duvidas acerca do meu voto: Este recairia sem margem para indecisões sobre o senador Barack Obama. Este "jovem" Afro-americano (já não se pode dizer preto, especialmente em coisas que se relacionem com os US of A) é a minha esperança para os próximos 8 anos de política externa americana e, quer gostemos ou não, das relações internacionais. Gosto do gajo, pronto. Não sei porquê.
Talvez por ser bem mais jovem que Hillary, por ser mais dinâmico no Senado (em 2 anos participou em vários projectos-lei, incluíndo muitas reformas do sistema de segurança social americano, desvio de fundos para a investigação científica e apoio a pessoas infectadas com HIV/SIDA; Hillary, cujas principais actividades senatoriais se prendem com a segurança interna, deu o seu aval ao pedido de fundos de Bush para a guerra no Afeganistão e Iraque, assumiu que a situação neste país está a melhorar, e que concorda com uma retirada lenta do Iraque - tá mal, se tá o caos que está, não deviam sair de lá até aquilo ser parecido com pelo menos o Ingote. Fora destes assuntos, as suas actividades de maior relevo prendem-se com (ai que jovem!) videojogos, nomeadamente o seu conteúdo potencialmente nocivo...)

Poderão nesta fase perguntar "Isto é tudo muito giro, mas que raio tem isso a ver com as lesmas que encontrei ontem quando limpava o cú a uma folha de couve comprada num minimercado de Sta. Comba Dão??" Como temos visto ultimamente (Iraque, Kyoto, combustíveis, Guantanamo, etc...), se se mexe, tem a ver com o país do Tio Sam...
Esperemos para ver quem sairá por cima, embora seja uma corrida que parece ter um vencedor (neste caso, vencedora) antecipado. Pode ser que não.

domingo, 21 de janeiro de 2007

Ensaio sobre a cegueira


Venho aqui hoje deixar patentes os meus pensamentos sobre um assunto que persiste em tomar a atenção do nosso país, quando era perfeitamente escusado, o referendo à IVG. Dia 11 de Fevereiro deste ano os portugueses vão ser chamados a dar a sua opinião sobre a despenalização da IVG, quando realizada em estabelecimento de saúde devidamente preparado e até às 10 semanas.
Quando oiço, como ainda agora no telejornal, que a legalização do aborto não é o caminho, não posso deixar de concordar. Mas o que vai ser referendado não é a legalização, mas sim a despenalização. O que à primeira vista parece ser uma questão de semântica, assume contornos bem mais subtis que deveriam por todos ser abordados.

1 - Qualquer pessoa tem de reconhecer que o aborto é uma medida extrema, o chamado last resort, assumindo assim que ninguém recorre a uma práctica reconhecidamente traumatizante e potencialmente perigosa para a saúde de ânimo leve. Assim sendo, apesar de ser o meu maior receio nesta questão, sou obrigado a conceder que ninguém utilizará o aborto como práctica anti-conceptiva. Como tal, estabeleço como pressuposto o facto de a realização de um aborto continuar a ocorrer em casos excepcionais.
2 - Outra questão em que os defensores do não se refugiam é a de o direito à escolha da mulher terminar no ponto em que causa a morte a um ser vivo. Não podia concordar mais; Aliás, a Constituição da República Portuguesa não prevê em caso algum a possibilidade da morte de um ser vivo (exceptuando, obviamente, nos casos de IVG em casos de gravidezes de risco, ou em caso de alta probabilidade de deficiência mental grave da criança), facto em que Portugal se orgulha de ser dos primeiros países do mundo que aboliu a pena de morte. Tudo muito bem, mas escapa-se aqui mais uma vez um ponto fugaz mas de importância extrema: Qual o ponto de distinção entre embrião e feto? Como ninguém (incrivelmente, nem mesmo os defensores do sim) faz esta fulcral disitinção, assumo-a eu: Na minha opinião (formada, de biólogo, de cientista), assumo que uma massa já algo diferenciada de células passa a ser verdadeiramente um ser humano aquando do início do desenvolvimento dos chamados órgãos essenciais, ou seja, todos aqueles sem os quais é totalmente impossível alguém sobreviver (sistema nervoso, circulatório, respiratório e digestivo). Uma consulta rápida a um manual de embriologia (ou mesmo, mais fácilmente, uma busca na Wikipedia - deixando uma margem de confiança a uma fonte de informação na qual qualquer pessoa, especialista ou não, escreve) descreve este ponto como sendo as 9, 10 semanas após a concepção (7, 8 semana de gestação). Aqui ocorre um grave erro de omissão da pergunta aprovada: As 10 semanas são de gestação ou da concepção? Se for após a concepção, compreendo que alguém tenha dúvidas de ordem moral ou ética; se for de gestação, não percebo como alguém devidamente informado pode defender o não. Independentemente deste preciosismo que não o é, só após o fim das 9 semanas considero que um aborto vá terminar uma vida humana; até aí, grotescamente comparo um aborto a uma remoção de um tumor.
3 - Considero que o fim da hipocrisia nesta questão se torna essencial. Qualquer defensor(a) do não com carcanho é muito provalmente das primeiras pessoas a ir a Badajoz a outro local no país vizinho. Contudo, onde a miséria abunda, em mulheres muitas vezes violentadas e violadas pelos "maridos" (para não lhes chamar filhos da puta), pessoas com um ordenado que mal dá para a própria alimentação, é aí que esta despenalização poderá fazer a diferença para melhor. Saber que com o dinheiro dos meus impostos uma criança poderá não nascer para uma mais que provável vida de miséria, doença, marginalidade e toxicodependência, vou conseguir dormir melhor. Se a mulher não quiser abortar, aí termina a responsabilidade do cidadão comum. Mas se quiser e puder fazer algo sobre isso, acho muito bem...
4 - Num ponto final, a necessidade de terminar o que a Maria José Morgado definiu, com alguma piada diga-se, como "slot-machines". A actividade da prática ilícita de IVG em Portugal rende muito dinheiro, não declarado, exorquido do desespero de pessoas, practicado em total desrespeito pelas normas de saúde modernas, que sem dúvida terminará com a aprovação deste projecto-lei.

Assim, após este esvaziar da mente, acho que tornei claro que a escolha consciente só pode ser o voto no "SIM" e que fiz algo para ajudar quem pudesse ainda estar indeciso. Não é um voto de partidarização, de moralidade ou de ética. É um voto na possibilidade de uma sociedade melhor, quer muitas pessoas se horrorizem com esta ideia, podendo mesmo chamar-lhe neo-eugenia. Não acredito nisso...

É no que dá, num país de taxas de analfabetização alarmantes, porem-se com palavras caras, com a mania de parecer importante.... Shame on you.

Discriminação, é o que é!!!!!


Fodasse, porque é que não as fazem em modelos para esquerdinos????? Não me importava de pagar mais um bocado, mas não me digam pura e simplesmente "O MODELO NÃO EXISTE EM VERSÃO PARA CANHOTOS." Dextros de merda, se fossem todos levar no cú é que faziam bem!!!

Pronto, já estou melhor. Não queria ofender ninguém mas às vezes fico pior do que que um tigre com uma carraça nos tomates...

E é assim esta vida, a tentar adaptar-me a um mundo ao contrário. O que vale é que os cigarros são redondos...

Agora a sério...




A verdadeira razão para eu ter criado este blog foi para partilhar este vídeo... Descobri-o hoje, é espectacular (esta Orion faz-me sempre chorar) e gostava de dar aos meus mais próximos a perceber mais um pouco do porquê do meu amor por esta banda... Não é só barulho como guincham alguns mentecaptos, é também a musica mais bela que alguma vez ouvi...

Cantar para quê, letra para quê, quando se pode fazer amor com uma guitarra e mostrá-lo a toda a gente??

Quem me dera escrever musica assim... R.I.P. Cliff Burton

A small step for a man...

Nunca fui de modas, por isso só agora me junto à comunidade "bloguista". Não gosto de escrever, gosto é de ler. Muito. A minha forma de expressão favorita é o diálogo. Quem me conhece sabe certamente o prazer que retiro em conversas de café sobre os mais variados temas, especialmente com amigos que não vejo há algum tempo. Mas há coisas que não consigo exprimir vocalmente, pelo que tentei a musica. Consegui atingir plenamente essa meta, contudo deparei-me com uma parede inesperada: só consigo exprimir-me musicalmente para uma só pessoa: eu. Por isso, back to square one. Assim sendo, após muita consideração, reticência e algum tabaco, decidi dar uma hipótese à escrita, numa fase da minha vida em que ela domina o meu pensamento mas, infelizmente, não totalmente o meu corpo como seria de desejar...
Além disso, o fenómeno de escrever um blog tem um je ne sais quoi de individualista e de egoísta que me apraz, talvez saber que escrevo para mim...
Vamos lá ver se isto funciona, se não é só mais um pedacito de espaço virtual mal aproveitado, o que não deve pecar por ser único...
Abraços, beijos e outras coisas