terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

The memory remains...


Porque eu me lembro. Porque todo o mundo se lembra. Porque o Oliver Stone pegou num momento que uniu todo o planeta e, por um dia, fomos todos americanos. Porque é, nas palavras do próprio, a lembraça de todo o mal que o ser humano é capaz, mas também toda a bondade que estava esquecida.
Não é um filme "God bless America". Não é um filme partidário. É uma homenagem a todos os que lá estiveram, ficaram feridos e morreram para que outros pudessem ter uma hipótese de sobreviver. É uma homenagem aos 329 polícias, bombeiros e socorristas nova-iorquinos que acorreram à emergência, lá ficaram, a grande maioria deixando toda uma família para trás. Esses sim, acima de tudo, merecem o nosso silêncio, a nossa homenagem, a nossa vénia. Não acredito que alguém, no seu perfeito juízo, seja capaz de discordar. Pois discordar disto é roubar a fé na espécie humana. Também já não tenho muita, mas são coisas como esta que me fazem lembrar que somos todos irmãos. God bless all of us.

1 comentário:

M.Ferreira disse...

Não é um filme do 11 de Setembro, é um filme sobre algumas histórias de uns que deram a vida por outros, de uns que sobreviveram nas condições mais adversas,de uns que não percebem, de uns que choram, de uns que estiveram lá e viram. É somente um conto de sobrevivência, bem contado.Assim como o Voo 93 trata-se apenas de uma carta na enorme pirâmide, uma carta inofensiva, que não nos acrescenta nada, apenas nos desvia e nos reconforta.Tirando o momento em que Jesus aparece com uma garrafa de água (tens de beber menos Oliver) o filme comporta-se de maneira exemplar, umas vezes certeiro outras vezes lamechas. Mas acaba-se com a vontade de ver a pirâmide toda, de ver aquelas cartas que não conhecemos, aquelas cartas que ninguém sabe, e que possivelemnte deitarão a pirâmide abaixo.