sábado, 27 de setembro de 2008

O meu mais recente terror...


É que esta gaja ganhe... São os EUA, aqui tudo é possível!

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Se não adorasse tocar guitarra...

Trocava-a por bateria. E porquê? Porque coincidências destas não se ignoram...
E ainda mais de uma grande banda...

domingo, 21 de setembro de 2008

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

A mais bela música do milénio...

A intro de piano e cordas....
O tom global...
As letras...
A auto-indentificação...
Estou apaixonado. Constant replay...


Querias-te rir, Gaspar?

Então toma lá esta...

terça-feira, 16 de setembro de 2008

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Hoje estou magnetizado!


O meu novo brinquedo...



Para me ajudar a manter a sanidade mental... Um prémio monetário a quem souber de um composto que estimule a biogénese mitocondrial em HepG2....

domingo, 7 de setembro de 2008

I kill you!

Simplesmente brutal!

Como este há muitos. Por exemplo, se quiserem saber quem é o Walter (e perceber a do Mr. Hurricane), vide-o aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.
Depois, o Peanut... aqui, aqui e aqui.
Em seguida, o superherói Melvin, aqui.
O agente Sweet Daddy D, aqui.
E finalmente, o white trash Buuba J, aqui.

Quando tiverem uma horinha livre, vejam-nos todos. É de cagar a rir!

sábado, 6 de setembro de 2008

Já que falamos de Death Magnetic...

Aqui vai o primeiro single (e vídeo) deste aparentemente fenomenal álbum. Esta chama-se "The day that never comes". Começa como uma balada, com letra e riffs carregados de sentimento, que culminam num refrão extasiante. A meio, a música decide que precisa de mudar, e se muda! Uma aceleração gradual, para terminar em quase 4 min de riffs de ritmo tocados à velocidade da luz (vou ter trabalho para aprender a tocar esta). O vídeo envoca o conflito no Iraque, focando-se, como as letras, não na violência e morte, mas sim na capacidade de saber perdoar apesar de custar fazê-lo.

Senhoras e senhores, os reis:

Como se já não estivesse suficientemente ansioso...

"Oh my fucking god.
Metallica is back in a big way with 2008’s implausibly exceptional Death Magnetic. Their best album in 17 years and one of the best pure metal albums of the millennium finds the band cutting a fierce swath of diabolical thrash metal through 10 superb tracks of metal brilliance.
After attempting to sound “raw” on St. Anger and dropping two records of hard rock sanitation prior to that, Metallica’s ninth studio album is mostly fast as fuck and places the 40-something thrashers in the middle of a set of songs that contain enough unruly energy to fuel a jumbo jet filled with psychopaths.
...
So yeah, it’s safe to say that Metallica is back and will unquestionably reclaim their lawful place as the true gods of thrash metal. Death Magnetic delivers the goods and does so at 100/mph, careening through outstanding songwriting, rolling guitars, menacing bass, and insane percussion with reckless abandon and no fucking seatbelts.
But with all that said, there’s truly only one axiom needed to sum up Death Magnetic:
Oh my fucking god."

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

É favor clicar...

...justamente aqui e maravilhar-se com o rigor e a precisão científica de tal trabalho.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Sim senhor, o Flight Simulator deu jeito...






Até era pra ter sido eu a aterrar, mas estava muito vento... Mas de resto, só vos digo... Pilotar é uma experiência fenomenal!

Fodasse!

Epá, porra! Não se faz! Vaca dum cabrão...